Copyright © 2021 | Miguel Louro | Todos os direitos reservados | handmade by brainhouse
PRESS
Pudim Abade de Priscos adoçou exposição de fotografia no Porto
15.04.2015

Pudim Abade de Priscos na receita original servido a preceito adoçou a inauguração de uma histórica exposição de fotografia, esta noite, no Museu Nacional Soares dos Reis, na cidade do Porto.
O fotógrafo Miguel Louro, da Confraria do Abade de Priscos, sacerdote que era natural de Vila Verde, brindou os cerca de 300 visitantes da exposição com Pudim de Abade de Priscos, acabando por constituir também uma jornada de divulgação do doce criado pelo padre, bastante famoso pelos seus dotes gastronómicos e nascido em Turiz, Vila Verde.
Miguel Louro, que este ano comemora 40 anos de fotografia, 30 anos de medicina e 60 anos de idade, é um dos artistas representados na Exposição Ecos de Uma Geração – O Homem e a Cidade, a par de António Drumond, Carlos Valente, Eduardo Martinho, João Menéres, João Paulo Sotto Mayor, Joaquim Soares, Viana Basto, Matias Serra, Manuel Magalhães, Óscar Saraiva e Ricardo Fonseca, ligados à Associação Fotográfica do Porto.

Miguel Louro, médico em Braga e Mordomo-Mor da Confraria do Abade de Priscos, tem dez fotos sobre a cidade dos arcebispos, fotografias criadas com máquina analógica, a preto e branco, em tela de platinotipias, imagens produzidas através de um processo fotográfico histórico denominado de platinotipia, que é considerado por muitos como um dos mais nobres e belos métodos de impressão de sempre.

«O resultado de grande permanência e exclusividade, com uma inconfundível e encantadora atmosfera é formado unicamente por micropartículas metálicas de platina e paládio embebidas nas fibras do papel cem por cento algodão», segundo referiu Miguel Louro a O Vilaverdense.

Desde Braga marcaram presença na inauguração do certame a artista plástica Adriana Henriques e o fotógrafo Mário Brandão.

Fonte: ovilaverdense.com















‹‹ VOLTAR ^ TOPO